Empresas que revolucionaram suas marcas com o Código 2D

O mercado é uma variável constante, que está sempre mudando e sofrendo transformações de acordo com uma série de fatores. Muitas empresas que hoje se encontram no topo dos seus segmentos nem sempre estiveram ali, mas foram sagazes o suficiente para enxergar uma necessidade de reinvenção da marca e adotar todas as medidas necessárias para se tornarem relevantes novamente. 

O processo de reposicionamento de marca (ou rebranding) é longo e estratégico, exigindo um conhecimento profundo do mercado e a adoção de recursos tecnológicos que ajudarão a inovar em seus produtos, serviços e experiências proporcionadas ao consumidor. Dentre essas ferramentas digitais, podemos destacar os códigos bidimensionais, que funcionam como uma versão aprimorada dos códigos de barras.

Com um Código 2D, uma empresa consegue elevar a experiência do consumidor a outro patamar e incluir diversas informações exclusivas em seus produtos, aumentando a interatividade e reforçando sua comunicação com o público. Neste artigo, faremos um estudo de caso a respeito de algumas marcas famosas que passaram por um rebranding e adotaram esse recurso no processo. Confira:

Burger King

O Burger King, uma das maiores redes de fast food do mundo, aderiu a um rebranding completo focado no design e na comunicação com seu público, com foco no ambiente digital. Eles apenas alteraram sua identidade visual, buscando conversar melhor com pessoas mais jovens nas redes sociais e trazer um ar mais moderno para a marca.

Além de utilizar todas as ferramentas digitais com maestria, o rebranding do Burger King ainda consegue proporcionar experiências únicas ao combinar o virtual com o real. Em todos os restaurantes da franquia, é possível encontrar códigos 2D por toda parte, seja na embalagem dos lanches ou nos tokens de pedidos. 

Os clientes também passaram a ter uma interatividade maior entre o app da marca e as lanchonetes, garantindo descontos exclusivos e outras cortesias através dos códigos bidimensionais que são gerados na plataforma. 

Nubank

Mesmo sendo uma empresa relativamente nova no mercado, o Nubank já passou por um grande rebranding e o motivo foi muito simples: a expansão na quantidade de serviços oferecidos. 

O Nubank começou como um banco digital comum, com foco em seus cartões de crédito sem anuidade. Conforme a empresa foi ganhando força, acabou se tornando uma plataforma financeira completa, oferecendo a possibilidade de fazer empréstimos, investimentos e usufruir de outros serviços.

Ao utilizar qualquer serviço da empresa, é possível notar como os códigos 2D se fazem presentes em praticamente tudo. Seja para fazer uma transação financeira ou simplesmente enviar dados pessoais para um indivíduo, hoje essa tecnologia está totalmente integrada na sua operação graças à praticidade que proporciona aos clientes.

Natura

A marca de cosméticos Natura sempre foi referência em sustentabilidade, mas em um certo ponto da sua trajetória, os consumidores passaram a alegar que a empresa não estava mais fazendo jus ao seu discurso. Foi a partir disso que a corporação buscou se reinventar no mercado.

A começar pela identidade visual, a Natura atualizou seu logotipo e cores, buscando transmitir um ar de leveza e modernidade. Na parte publicitária, todas as propagandas passaram a reforçar seu comprometimento com o meio ambiente, enfatizando que seus produtos exploram recursos naturais de uma forma consciente e sustentável.

A empresa também lançou uma linha de cosméticos única, com uma série de características que a destacavam como uma das mais conscientes e sustentáveis da indústria brasileira. Novamente podemos reforçar o uso dos códigos bidimensionais, que continuam desempenhando um papel fundamental na transmissão dessa mensagem em cada embalagem.  

Gostaria de saber mais sobre os códigos 2D? Acesse o site da GS1 Brasil e tire suas dúvidas!

WhatsAppFacebookTwitter

Inovação e interatividade: explorando as possibilidades do Código 2D no reposicionamento de marca

Seja em busca de renovação, reconstrução da confiança do seu público ou para impulsionar o crescimento dos negócios, o processo de rebranding é uma oportunidade valiosa para toda empresa.

O reposicionamento de marca é um conceito destinado para corporações que precisam se reinventar no mercado e os motivos variam muito. Nem sempre está ligado a fatores negativos, mas o objetivo final é sempre o mesmo: alavancar as vendas e se tornar relevante novamente.

Existem vários pontos a serem considerados na hora de elaborar estratégias para esse reposicionamento. É um processo longo e que exige bastante pesquisas de mercado, pois estar a par de todas as tendências e principalmente dos interesses do seu próprio público é indispensável. A partir disso, surge a necessidade de proporcionar novas experiências de consumo, um fator que já vem sendo considerado o “novo normal” da indústria varejista.

Como isso é possível? Através de recursos que proporcionem inovação e interatividade, como os códigos bidimensionais!

Se conectando com seu público

Muitas empresas acham que as redes sociais são a única forma de se conectarem com seu público, mas isso não é verdade! Apesar de serem eficazes e até mesmo essenciais nesse propósito, existem outras formas de engajar clientes fora da internet e isso pode ser feito diretamente pela embalagem dos seus produtos. 

Os códigos 2D são uma evolução dos códigos de barras, usados para armazenar diversos tipos de informações e proporcionar experiências únicas para cada compra. Quando o consumidor usa a câmera do seu celular para escanear o código, é possível ter acesso a esse conteúdo diferenciado e estratégico, pensado especificamente para aquele produto específico. Dessa forma, as empresas têm muito mais liberdade para colocar suas estratégias de rebranding em prática!

Se o reposicionamento de marca partiu da necessidade de conquistar um público novo, é possível incluir imagens, vídeos, textos e qualquer outro tipo de material que traga assuntos diversos e conteúdos do interesse desse novo público-alvo. Caso seja para reforçar algum valor relevante para a imagem da empresa, o departamento de marketing pode incluir vídeos e cases sobre a campanha que divulga essa nova fase da corporação.

Não existem limites para os códigos bidimensionais e saber utilizá-los de forma inteligente deve fazer parte de toda estratégia de rebranding

Como utilizar códigos 2D?

Assim como os códigos de barras tradicionais, a variação bidimensional também se trata de um padrão GS1 disponibilizado para o mercado. Isso significa que, para aplicar esse recurso em suas embalagens, é necessário ser um associado da GS1 Brasil, o que garante acesso a todas as nossas soluções e serviços.

Vale ressaltar que os códigos 2D não substituem os códigos de barras, pois cada um é utilizado para propósitos diferentes. Enquanto os de barras continuam sendo a ferramenta padrão para automatizar processos e rastrear produtos, os 2D são mais focados na experiência do consumidor, permitindo que as empresas implementem essa interatividade em seus produtos. Sendo assim, ambos se complementam e precisam ser utilizados em conjunto.

O primeiro passo para começar a tirar máximo proveito do seu processo de rebranding é solicitar um código de barras GS1. A partir daqui, é só começar a planejar os próximos passos de acordo com as principais necessidades e estratégias do reposicionamento da sua empresa!

WhatsAppFacebookTwitter

Reposicionamento de marca: como o Código 2D pode impulsionar sua estratégia?

Cedo ou tarde, toda empresa que já está há algum tempo no mercado pode precisar passar por um processo de reposicionamento de marca, também conhecido como rebranding. Seja para conquistar um novo público, vender produtos ou serviços diferentes, reforçar os valores da marca ou simplesmente para fortalecer sua imagem no mercado, essa acaba sendo uma necessidade comum na indústria altamente volátil em que estamos inseridos.

Toda empresa precisa acompanhar novas tendências e movimentos para se manter viva no mercado. Hoje em dia, o consumidor não está interessado somente em comprar produtos, mas principalmente em se sentir representado pelas marcas que apoia. Uma corporação que não se atenta a tais detalhes pode eventualmente perder a confiança do seu público e se tornar obsoleta, então é aqui que entra a importância do rebranding.

A tecnologia assume um papel de protagonismo em um reposicionamento de marca e os códigos 2D podem ser uma poderosa ferramenta nesse processo. Quer saber como? Continue a leitura!

Proporcionando novas experiências

Cada empresa possui suas próprias motivações para iniciar um rebranding, mas no geral a metodologia utilizada na elaboração das estratégias costuma ser a mesma. Isso inclui buscar conhecer melhor o seu público, reforçar os valores corporativos, adotar novas tendências do mercado, encontrar diferenciais para os seus produtos e proporcionar novas experiências aos seus clientes.

Apesar de serem fatores com direcionamentos diferentes, todos eles se combinam nas estratégias de rebranding. A parte de “proporcionar novas experiências” acaba colocando em prática tudo que foi planejado previamente, então é aqui que a empresa apresentará suas novidades ao público – sejam elas o apoio a algum movimento, novos produtos, campanhas de marketing etc.

Nesse quesito, os códigos 2D podem desempenhar um papel fundamental. Através deles, é possível garantir que todas essas mensagens alcancem não só o público-alvo, mas o consumidor em geral. Muitas vezes, um dos grandes objetivos de um reposicionamento de marca é garantir que mais pessoas se interessem pelos seus produtos e se tornem um cliente recorrente. Os códigos bidimensionais tornam essa jornada mais fácil.

Como funciona?

Os códigos 2D são uma versão aprimorada dos códigos de barras tradicionais, sendo representados no formato de QR Codes. Eles são menores que seus antecessores e conseguem carregar mais informações, mas não só isso: através dele, uma marca pode transmitir qualquer tipo de conteúdo como imagens, vídeos, textos e muito mais.

Sendo assim, um Código 2D pode funcionar como um grande porta-voz da marca para os consumidores. Outra vantagem é a facilidade de escanear seu conteúdo, permitindo que os clientes consigam ter acesso a tudo através da câmera do seu smartphone. Basta apontar o celular para um código e já é possível ver tudo que ele tem a oferecer na tela, simples assim!

As empresas que usarem esse recurso a seu favor certamente se sairão bem-sucedidas em seu processo de rebranding. Aqui se torna possível reforçar qual o papel da marca no mercado e apresentar novos produtos com facilidade, despertando o interesse do seu público através de funções únicas. A criatividade é o limite e cabe exclusivamente à gestão descobrir como explorar essa ferramenta com suas estratégias de reposicionamento.

Para utilizar os códigos 2D da GS1 Brasil, primeiro é necessário se tornar um associado. Acesse nosso site e peça já o seu código de barras!

WhatsAppFacebookTwitter

Por que o código 2D é embalagem estendida?

Você já ouviu falar em embalagem estendida? 

Esse termo é utilizado para designar as tecnologias capazes de complementar as informações que temos disponíveis na embalagem do produto – tudo isso através de dispositivos tecnológicos. A ideia é simples: escanear um código impresso que dará acesso a diversas informações relacionadas à mercadoria e também ao fabricante, um recurso que pode ser explorado tanto pelos varejistas quanto pelos consumidores.

É exatamente isso que os Códigos 2D da GS1 Brasil entregam! 

Utilizados no formato de QR Code, eles ocupam menos espaços que o código de barras tradicional e ainda podem armazenar uma quantidade bem maior de dados. A facilidade de escaneá-los também é um grande atrativo, já que qualquer pessoa que tenha um smartphone consegue fazer isso através da câmera. Isso expande ainda mais as possibilidades, já que não se limita somente ao scanner infravermelho tradicional.

No nosso artigo “Código 2D: a vantagem da embalagem estendida”, falamos um pouco sobre essa característica, mas hoje viemos reforçar quais funções fazem desses códigos o complemento perfeito das embalagens. Continue a leitura para saber mais!

Uma nova experiência para o consumidor

Quando falamos em embalagem estendida, estamos nos referindo a uma vantagem mais direcionada à jornada do consumidor, que poderá ter acesso a diversas informações que, outrora, não era possível. 

O conteúdo que será acessado através do código 2D fica a cargo do fabricante, que deverá fazer bom proveito dessa oportunidade para criar um vínculo de confiança maior com seu público. Aqui é possível utilizar a criatividade!

Tudo já começa antes do ato da compra. No caso de produtos alimentícios, por exemplo, é possível que o consumidor já acesse essas informações nos corredores do mercado, a fim de checar dados adicionais relacionados ao alimento em questão. 

É por isso que as marcas têm aqui uma oportunidade de ouro para estabelecer um contato mais transparente com seu público, não só convencendo mais pessoas a comprarem, mas também garantindo aos clientes mais antigos que aquela continua sendo a melhor opção.

O espaço de uma embalagem é limitado, mas o Código 2D acabou de vez com esse problema. De uma maneira rápida e fácil, o cliente pode ter acesso a conteúdo exclusivo como textos, imagens, vídeos e outros recursos que possam complementar as informações impressas. 

Além da possibilidade de incluir todas essas mídias em um único código, também é um recurso perfeito para fortalecer a marca através de materiais que promovem outros produtos e possíveis iniciativas da empresa como, por exemplo, de sustentabilidade. .

Vantajoso para os varejistas

O Código 2D também pode conter informações importantes sobre a cadeia de produtos, essas que podem ser úteis para o consumidor e para o varejista. Ele expande as características apresentadas pelo código de barras tradicional, então é possível ter mais controle sobre os estoques, prevenir perdas, rastrear mercadorias com mais facilidade e garantir uma autenticidade maior dos produtos.

Os Códigos de Barras ainda são dominantes no mercado, mas muitas empresas já estão se atualizando e até mesmo adotando o formato 2D como seu principal meio de atuação no varejo – algo que inclusive já está acontecendo no Brasil. Ficar a par desta tecnologia é sair na frente da concorrência e, não menos importante, garantir uma clientela cada vez mais fiel à sua marca.

Clique aqui para saber mais sobre os códigos 2D da GS1 Brasil

WhatsAppFacebookTwitter

O Código 2D começa a mostrar os primeiros resultados na cadeia de abastecimento

Se o Código de Barras convencional já é considerado uma verdadeira revolução, o Código 2D chegou ao mercado para aprimorar ainda mais o acesso às informações, o que simplifica e otimiza ainda mais a jornada de compra, ou seja, beneficia desde empresas até consumidores.

Diferente do Código de Barras Convencional, que codifica as informações em apenas uma dimensão e possui uma capacidade de armazenamento limitada, o Código 2D, também chamado de Bidimensional, permite que as informações sejam codificadas em duas dimensões: transversal e longitudinal, ampliando expressivamente a capacidade de guardar informações. 

Outra facilidade que tem mudado a experiência das organizações são os tamanhos dos códigos impressos nas embalagens dos produtos. O novo código armazena muito mais informações, mas ocupa bem menos espaço, o que beneficia especialmente o design e melhora a experiência do cliente, que encontra mais comodidade, conveniência e praticidade nas embalagens dos seus produtos.

Um exemplo prático dessa comodidade, é o redirecionamento que o Código 2D faz para endereços eletrônicos que contêm qualquer tipo de informação ou acesso ao download de aplicativos. Além disso, a tecnologia é capaz de validar informações como a de ingressos para eventos e ainda acessar informações de meios de pagamento

No varejo, inclusive nos Pontos de Vendas, o Código 2D também promove diversas facilidades, visto que proporciona informações suficientes e que entram automaticamente nos sistemas das lojas, tornando assim a gestão dos produtos mais eficiente e dinâmica, aumentando a produtividade, facilitando o controle de estoque e a prevenção de perdas. 

Já no setor da indústria, os benefícios são igualmente notáveis, porque o Código Bidimensional viabiliza o melhor controle dos lotes de produtos e a rastreabilidade, garantindo mais segurança, resultados progressivos e agilidade em situações de crise, como é o caso de um possível processo de recall.

 

Cases de Sucesso

Como vimos, esse novo formato de Código de Barras introduz mudanças importantes para todos os setores da sociedade, então para ajudar as empresas a se adequarem a essa transformação, se inspirarem e enxergarem com mais clareza seus benefícios, separamos 4 cases recentes que alcançaram mais eficiência em seus processos a partir do uso do Código Bidimensional:

Parla Deli

No dia 28 de outubro de 2021, a GS1 Brasil habilitou, pela primeira vez no mundo, o Código 2D com o GS1 Digital Link, considerado uma evolução do Código de Barras. A leitura desse código foi feita na Parla Deli, que está há 12 anos no mercado e hoje possui mais de 2.000 SKUs, que variam entre itens industrializados e de fabricação própria.

O Código 2D, por enquanto, já trouxe alguns benefícios para a empresa como: ganhos de visibilidade na cadeia digital; alinhamento da linha de produção com o momento das vendas pelo e-commerce; mais eficiência na gestão de estoque e na data de validade dos produtos; informações adicionais sobre os produtos para uso do consumidor e mais eficiência no ponto de venda.

Confira aqui o case completo!

Leroy Merlin

Um dos exemplos de utilização do Código 2D no setor de construção é pela gigante Leroy Merlin, que evoluiu toda a sua cadeia de suprimentos do setor de revestimento cerâmico ao adotar o Código de Leitura Bidimensional GS1 Datamatrix para identificar lotes de produtos e unidades logísticas. O resultado foi uma melhoria expressiva na eficácia e produtividade do recebimento da grande variedade de cerâmicas em centros de distribuição e lojas.

Saiba mais!

Vapza Alimentos

Em 2021, com o lançamento da linha Marvel, a Vapza Alimentos decidiu implementar o Código 2D em suas operações, sendo uma das primeiras empresas, juntamente com a GS1, a utilizar essa solução.  Os padrões foram aplicados nos seis SKUs da linha Marvel e proporcionaram uma experiência única aos consumidores, afinal, bastava baixar um aplicativo no celular para fazer a leitura do código e acessar informações exclusivas sobre os alimentos.

Conheça mais sobre este case aqui!

Fugita

Após o sucesso no uso dos códigos lineares, a empresa Fugita decidiu dar um passo ainda maior e em 2022 resolveu adotar o Código 2D da GS1 nas suas embalagens com o objetivo de proporcionar a melhor experiência no compartilhamento das informações do produto e atendimento aos consumidores. Ao implementar a tecnologia, a empresa conseguiu em pouco tempo fornecer mais informações, facilidade e segurança aos consumidores; melhorar a gestão do estoque; proporcionar mais automação e segurança aos processos e alcançar a padronização global também nos Códigos 2D.

Confira essa história de sucesso completa!

O Sucesso do Código 2D na China

Em dezembro de 2022 aconteceu o Global Digital Trade Expo, um importante evento realizado na cidade de Hangzhou, que é parte da província de Zhejiang, na China. Na ocasião foi apresentado o projeto “Global Migration to 2D Barcodes (GM2D)” ou Migração Global para o Código 2D.

Na região, o projeto já possui 7.000 empresas de produção de alimentos participantes, além de 200 lojas da maior cadeia de varejo de mercadorias. Os principais resultados positivos já estão sendo notados e se mostram muito promissores.

Além de apresentar esses resultados, o evento estruturou uma área especialmente dedicada à exposição do Código 2D, que divulgou mais informações sobre o progresso da tecnologia e sobre a eficácia dos projetos pilotos locais em toda a região. 

Grandes empresas, como a China Commodity Call, aproveitaram a oportunidade para demonstrar interesse na aplicação do GM2D, considerando que os Códigos de Barras Bidimensionais poderão atender às necessidades das empresas para conectar cadeias de suprimentos upstream e downstream, otimizando seu gerenciamento de processos operacionais.

Quer saber mais sobre o que rolou no Global Digital Trade Expo? Leia a notícia completa!

WhatsAppFacebookTwitter

Como o Código 2D consegue transformar informação em experiência?

Hoje em dia, os consumidores estão cada vez mais interessados em experiências únicas e customizáveis e, com tantas tecnologias disponíveis, o que não faltam são recursos e ferramentas para disponibilizar esse conteúdo mais imersivo e dinâmico que fazem essa jornada marcante, mas é claro que nem sempre a solução é tão óbvia quanto parece. 

Para certos tipos de produtos, seria necessário adaptar algum fator dentro da sua produção para fornecer essas experiências. A boa notícia é que esse tipo de tecnologia já existe e trata-se da evolução dos Códigos de Barras: os Códigos 2D. 

Até pouco tempo, eles eram utilizados exclusivamente para identificação de produtos e controle de estoques dentro do varejo, mas agora suas funções se expandiram para o público geral, podendo beneficiar tanto o varejista quanto o consumidor.

Além de carregar informações importantes sobre o produto em si, o Código 2D traz experiências personalizáveis, que também servem como dados estratégicos para o fabricante. Eles são capazes de carregar mais informações que os códigos tradicionais e podem ser escaneados pela câmera do celular, o que facilita o acesso de todos. 

A seguir, explicaremos um pouco mais sobre como tudo isso é possível!

Uma nova forma de se conectar com o cliente

O Código 2D funciona como um QR Code, que hoje já foi implementado em praticamente tudo. Esses códigos podem fornecer qualquer tipo de informação quando escaneados pelo celular, então a ideia é exatamente essa: criar uma experiência nova que conecte o consumidor à marca. 

Ao escanear a embalagem do produto, é possível acessar qualquer coisa que o fabricante tenha preparado naquele código, então é aqui que entra a parte da estratégia.

Existem diversas possibilidades de interação, tais como: disponibilizar um link para o site da marca ou baixar um aplicativo, acessar um catálogo de produtos relacionados, encaminhar o consumidor para vídeos que explicam como utilizar o produto, manuais de instruções etc. 

A melhor parte é que não é preciso se limitar somente a um desses exemplos, pois um único código pode armazenar vários tipos de conteúdo. Sendo assim, é possível colocar tudo ao mesmo tempo: links, imagens, texto, vídeos e o que mais achar necessário.

Esse é o grande diferencial dos Códigos 2D: uma forma totalmente nova de realizar campanhas de marketing e fidelizar clientes. Do ponto de vista do varejista, também é possível tirar bastante proveito dessa nova ferramenta, já que ele disponibiliza ainda mais dados que os códigos convencionais, então é possível checar lote, data de validade e outras informações importantes sobre os produtos. Isso ajuda a evitar desperdícios e prejuízos em potencial.

O futuro do Código de Barras

Assim como a GS1 foi pioneira na disponibilização global dos Códigos de Barras, com o Código 2D não está sendo diferente. Apesar de ainda ser novidade no Brasil e no mundo, nossa solução já está chegando ao varejo e à indústria, dando seus primeiros passos para revolucionar a forma de comprar e vender.

O Código 2D não só transforma a experiência do usuário, mas também é uma revolução na gestão de estoques, rastreabilidade, segurança, sustentabilidade e, não menos importante, engajamento para a marca. Tudo isso está disponível em uma pequena imagem que é menor que o Código de Barras tradicional e ainda é mais compatível com outros tipos de dispositivos. 

Entendeu agora por que ele é tão revolucionário?

Para saber mais sobre os Códigos 2D da GS1 Brasil, clique aqui e tire todas as suas dúvidas a respeito

WhatsAppFacebookTwitter

Como os Códigos 2D ajudam a controlar a perda de alimentos perecíveis?

Os Códigos 2D da GS1 Brasil são o próximo passo na nossa jornada de padronização global de produtos, funcionando como uma evolução do código de barras tradicional. 

No formato de QR Code, eles são capazes de armazenar mais dados ocupando menos espaço na embalagem, podendo até mesmo oferecer uma experiência mais dinâmica ao consumidor, que pode escanear o código com a câmera do smartphone para ter acesso a informações adicionais sobre o produto que está comprando.

O controle de estoques é uma das partes mais desafiadoras do processo de gestão, especialmente se tratando de produtos perecíveis, e o excesso de mercadorias torna ainda mais difícil saber o que está próximo do prazo de validade ou o que já está vencido, algo que sempre resulta em grandes prejuízos para o varejista.

Dentre todos os tipos de problemas que geram perdas para o setor varejista, a comercialização de produtos vencidos lidera o ranking, com destaque para as redes de supermercados, que são as mais afetadas. 

A solução para transpor esses e outros desafios seria adaptar todo o padrão de códigos de barras para uma alternativa mais moderna. Do ponto de vista logístico, os Códigos 2D desempenham este papel fundamental, evitando muitos desperdícios e gargalos aos comerciantes, como veremos a seguir!

A evolução do código de barras

Como já mencionado anteriormente, os Códigos 2D são capazes de armazenar mais dados que os tradicionais graças à tecnologia do Digital Link GS1, que é o padrão que utilizamos para permitir que as empresas adicionem qualquer informação que desejarem ao QR Code, como vídeos, imagens, textos, links para websites e tudo que acharem pertinente.

Esse é um recurso totalmente direcionado ao consumidor, que pode acessar todas essas informações facilmente através do seu smartphone. Contudo, ele poderia ser igualmente benéfico dentro do varejo, devido a sua alta capacidade de armazenamento, podendo trazer mais dados relevantes que auxiliam na gestão e em cada etapa do processo logístico. O único problema é que os mercados e as lojas ainda não possuem as ferramentas necessárias para fazer a leitura desse tipo de código.

Os Códigos 2D demandam um scanner de imagens ao invés do scanner a laser usado tradicionalmente, por isso seria necessária toda uma adaptação por parte dos varejistas. 

Ao substituir seus scanners por modelos que consigam fazer essa leitura, seria possível checar a validade de um produto ou lote com a mesma facilidade com que se verifica um código de barras. Isso permitiria até mesmo proteger os consumidores de produtos vencidos que já estão nas prateleiras, fornecendo um alerta ao caixa e possibilitando que a pessoa troque a mercadoria por uma que esteja na validade antes de sair do estabelecimento.

Dessa forma, é possível ter muito mais controle sobre os estoques de produtos perecíveis, dando prioridade para a venda daqueles cujo prazo está mais apertado e evitando desperdícios, além de garantir um serviço de maior qualidade ao público.

Quando isso será possível?

A falta de suporte para Códigos 2D no varejo ainda é um obstáculo, mas não é um impedimento! A GS1 Brasil já começou a dar os primeiros passos rumo a uma nova revolução no setor ao implementar um sistema de leitura de códigos bidimensionais com Digital Link em uma padaria localizada em Recife, Pernambuco. Isso ajudou os responsáveis a solucionar todos os seus principais problemas em gestão de estoque, com destaque para o desperdício de alimentos.

A GS1 Brasil se orgulha em ser a primeira do mundo a buscar soluções para essas questões de uma forma prática, através da popularização dos Códigos 2D dentro do varejo. 

Nosso objetivo é garantir que muito mais estabelecimentos, sejam eles de grande ou médio porte, possam usufruir desse sistema que promete revolucionar o mercado. Para mais detalhes, acesse o nosso site.

WhatsAppFacebookTwitter

Como o Código 2D pode impactar o seu negócio?

Os códigos de barras GS1 são referência internacional em termos de padronização para a cadeia de suprimentos. Há mais de 50 anos mundo afora e 35 anos no Brasil, nossa solução conta com um vasto banco de dados com produtos de mais de 100 países diferentes, que podem ser rastreados com máxima facilidade e eficácia. 

Há décadas o código de barras com uma única dimensão é dominante no mercado, mas é claro que, assim como todo tipo de tecnologia, ainda há espaço para melhorias!

Diante disso, hoje os varejistas e todo o setor de comércio já podem utilizar a evolução dos códigos de barras: os códigos 2D, que conseguem ir além por comportar mais recursos dentro de algo que já era excelente. 

Quer entender como essa tecnologia funciona e quais os impactos positivos que pode trazer para o seu negócio? Continue por aqui! 

O que é o Código 2D?

O grande diferencial dos códigos de barra tradicionais da GS1 é o vínculo das mercadorias com o Cadastro Nacional de Produtos através do GTIN (Global Trade Item Number), uma sequência numérica que usamos para identificar itens comerciais. 

A plataforma armazena todas as informações mais importantes sobre cada item dos nossos associados, permitindo que empresas ou até mesmo pessoas físicas consigam rastrear e consultar cada produto com facilidade utilizando o código do GTIN.

Essas seriam as principais funções de um código de barras tradicional, por isso os Códigos 2D acabam funcionando como uma alternativa que disponibiliza mais recursos para as empresas, já que funcionam como um QR Code (o padrão adotado pela GS1 Brasil), em formato de imagem bidimensional menor que um código de barras, mas capaz de armazenar ainda mais dados. Basta apontar o celular para acessar instantaneamente todas as informações do Cadastro Nacional de Produtos e muito mais.

A primeira grande vantagem seria a eliminação de etapas. Nos códigos 1D, é necessário entrar no Cadastro Nacional de Produtos por um navegador de internet e digitar o GTIN para acessar aquelas informações. No entanto, com o Código 2D, é só utilizar a câmera do smartphone para escanear o QR Code. 

Além disso, é possível armazenar diversos tipos de dados dentro desses códigos, então, assim como a ficha básica, os clientes também podem acessar vídeos, imagens e outros tipos de arquivos.

A principal diferença é que o Código 2D precisa de um leitor de imagens para ser escaneado, diferente dos tradicionais, que utilizam o scanner a laser. Grande parte das lojas não possuem esse tipo de recurso, mas a boa notícia é que as empresas podem incluir ambos em suas embalagens. 

Enquanto o tradicional é mais voltado para o varejo, o 2D pode ser utilizado pelos clientes, melhorando sua experiência de compra! Falaremos mais sobre esse tópico a seguir.

Diminuindo barreiras com o público

Como se pode notar, os Códigos 2D proporcionam um relacionamento único com o público de um negócio, pois, através deles, o cliente consegue ter uma experiência muito mais imersiva com aquele produto. 

Para se ter ideia, um único código pode conter links personalizados, fotos, vídeos e qualquer tipo de conteúdo que ajuda a fortalecer a marca e até mesmo divulgar outros tipos de produtos. A empresa não só pode alavancar suas vendas, como também garantir clientes mais satisfeitos e fiéis. 

Alguns exemplos práticos: para um produto de culinária, é possível vincular receitas e dicas de outros itens que possam ser utilizados com aquele em específico; para uma mercadoria que precise de montagem, pode ser útil colocar um link para um vídeo tutorial que ensine o comprador a fazer tudo por conta própria. 

O Código 2D representa uma revolução no campo das padronizações, pois oferece diversas possibilidades e depende exclusivamente das empresas explorá-lo de uma forma inteligente, sempre contando com todas as estratégias de marketing utilizadas em outros canais de comunicação.

Acesse este link para saber mais sobre os códigos 2D da GS1 Brasil. Qualquer dúvida, entre em contato com o nosso suporte, ficaremos felizes em ajudar!

WhatsAppFacebookTwitter

Código 2D com GS1 Digital Link: como essas inovações podem transformar o varejo brasileiro?

Há mais de 30 anos, a GS1 Brasil vem fazendo história com soluções inovadoras para o setor varejista. Após tantas décadas oferecendo um sistema de código de barras universal, que hoje já atende a mais de 150 países, buscamos ir além e aprimorar aquilo que já era excelente.

A partir dessa premissa que nasceram os Códigos 2D, que hoje são considerados a evolução do código de barras tradicional e permitem às empresas oferecerem uma experiência de compra totalmente nova aos seus consumidores.

Apesar de ainda ser uma novidade no mercado e estar sendo aderido gradativamente pelo varejo, o Código 2D GS1 já provou ser uma verdadeira revolução na área. 

No formato de QR Code, basta apontar a câmera do celular para conferir  as informações mais importantes sobre o produto. Ele ainda permite incluir conteúdo adicional, como vídeos, imagens e páginas da web, fazendo com que as marcas criem um vínculo totalmente novo com o seu público.

Devido ao formato do código, os recursos do Código 2D acabavam se limitando exclusivamente aos clientes, não tendo suporte dentro do varejo como os códigos tradicionais, que podem ser facilmente escaneados com um leitor a laser. Contudo, novamente buscamos ir além e aprimorar esse serviço, permitindo que pela primeira vez um Código 2D fosse utilizado no comércio.

A primeira leitura da história

Foi na padaria Parla Deli, situada na Zona Norte de Recife, Pernambuco, que a GS1 Brasil teve a oportunidade de evoluir ainda mais aquilo que já era considerado uma revolução. 

Com duas unidades e uma fábrica própria, os gestores do negócio enfrentavam grandes dificuldades para controlar e organizar os estoques, o que consequentemente resultava em prejuízo e desperdícios para a empresa.

Buscando uma forma de solucionar o problema, a Parla Deli procurou a solução dos Códigos 2D da GS1 Brasil, desejando ir além daquilo que eles já oferecem. A interação com os clientes já estava garantida, mas a padaria desejava uma forma de padronizar toda a rastreabilidade e demais informações dos seus produtos. 

Foi assim que, com o auxílio do parceiro BM Informática, eles conseguiram aplicar nossas ferramentas nas balanças e nos leitores de códigos de barras, permitindo assim que os Códigos 2D fossem escaneados como os tradicionais, no caixa das lojas.

No dia 28 de outubro de 2021 foi realizada a primeira leitura de um Código 2D com o GS1 Digital Link da história! 

O Digital Link é a ferramenta que utilizamos para armazenar qualquer informação que a empresa deseja dentro do QR Code. Dessa forma, os clientes conseguem checar os dados adicionais pelo smartphone e os caixas têm acesso a tudo que precisam utilizando um scanner adaptado. 

Para saber mais sobre como essa inovação mudou para melhor a realidade da Parla Deli, não deixe de conferir o nosso documentário.

Faça parte da história

Graças a essas inovações da GS1 Brasil, um negócio independente de médio porte conseguiu dar um passo que mais ninguém deu até o momento. Mas nosso objetivo é expandir ainda mais e proporcionar as ferramentas certas para que todos tenham a oportunidade de alavancar suas empresas com serviços de extrema qualidade, independentemente de ser um estabelecimento pequeno ou uma megacorporação.

O que aconteceu na Parla Deli foi apenas o começo. As dificuldades que eles enfrentavam antes ainda é a realidade de muitos, por isso a intenção é que mais empresas do setor adotem a solução, para que assim essa revolução não se limite somente a um único lugar. 

Clique aqui para saber mais sobre os nossos códigos 2D e dê o primeiro passo rumo ao futuro!

WhatsAppFacebookTwitter